Diversidade linguística

Você já parou para pensar em quantas línguas são faladas ao redor do mundo? Que outras línguas além do Português você costuma ouvir no seu dia a dia?

Atualmente, há cerca de 7 mil línguas faladas em todo o planeta!

A maior parte dessas línguas é falada pelos povos indígenas.

Você sabia que um número grande de idiomas está correndo risco de desaparecer?

Cerca de 2680 estão ameaçados! Se as línguas deixam de existir, desaparecem com elas os sistemas de conhecimento que fazem parte do que chamamos de diversidade cultural. A língua é um dos elementos mais importantes da cultura de um povo.

A situação das línguas indígenas é um reflexo de como viveram e vivem os seus falantes. Se os idiomas indígenas estão hoje ameaçados é porque a vida dos povos indígenas e os seus direitos não têm sido respeitados pelos Estados e sociedades não indígenas. Um dos direitos humanos mais fundamentais é o direito de falar em seu próprio idioma. Em muitas regiões do mundo, esse direito não foi garantido aos povos indígenas.

No passado e no presente, muitos governos tentaram acabar com as línguas indígenas proibindo o seu uso, como aconteceu nas Américas durante a colonização. Ainda hoje, há países não reconhecem a existência de povos indígenas em seus territórios.

Isto quer dizer que não reconhecem os direitos humanos básicos destas populações, entre eles, o direito de ser diferente e viver segundo suas próprias tradições culturais. Infelizmente, ainda é muito comum que pessoas sejam discriminadas por falarem línguas indígenas. Por causa disso, muitos pais estimulam seus filhos a falarem somente as línguas oficiais do país para poupá-los de sofrimento e violência e, pouco a pouco, deixam de se expressar no idioma indígena, desvalorizando-o.

2019: Ano Internacional das Línguas Indígenas

A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) declarou 2019 Ano Internacional das Línguas Indígenas.

A ideia é alertar os governantes e as sociedades em todo o mundo sobre a necessidade de valorizar os idiomas falados pelos povos indígenas e para isso é preciso que os países conheçam essa diversidade linguística e promovam os direitos linguísticos aos povos.

Diversidade linguística no Brasil

No Brasil, existem cerca de 180 línguas indígenas. Essa riqueza cultural e linguística é desconhecida pela maior parte dos brasileiros que vê o Brasil como um país monolíngue, isto é, que fala somente uma língua. Mas o Brasil é um dos dez países mais multilíngues do mundo!

Como fortalecer as línguas indígenas?

Uma iniciativa importante para valorizar a riqueza linguística no país está sendo realizada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). O Instituto criou o Inventário Nacional da Diversidade Linguística (INDL) que tem como objetivo identificar, documentar, reconhecer e valorizar as línguas faladas pelos diferentes povos que vivem no Brasil.

Diversidade Linguística na Terra Indígena Yanomami

Na maior Terra Indígena no Brasil, a Terra Indígena Yanomami, localizada nos estados do Amazonas e Roraima, vive um dos grupos mais importantes para o patrimônio linguístico nacional: os Yanomami.

Lá são faladas seis línguas: yanomamɨ, sanöma, ninam, yanomam, ỹaroamë, yãnoma.

O Iphan apoiou um projeto do ISA em parceria com a Hutukara Associação Yanomami que teve como objetivo fortalecer as línguas da família linguística faladas pelos Yanomami. Este projeto estudou a vitalidade desses idiomas e para descobrir isso buscou responder perguntas como:

  • As línguas estão sendo transmitidas entre as gerações?
  • Qual o número de falantes?
  • Em que momento são usadas?
  • São ensinadas na escola?
  • São usadas nos postos de saúde que existem nas aldeias?
  • Existem materiais escolares feitos nas línguas indígenas?

Este estudo sobre as línguas da família linguística yanomami revelou que quase todas as crianças yanomami (99%) começam a aprender as suas línguas antes do português.

Outra boa notícia é que nas escolas da Terra Indígena Yanomami os professores são todos falantes de línguas yanomami e fazem uso de sua língua de origem nas atividades escolares.

A língua yanomami mais falada no Brasil é o yanomam e tem cerca 11.700 falantes, número alto se comparado com outras línguas indígenas faladas hoje no país.

O estudo também mostrou que as línguas yanomami mais ameaçadas são aquelas faladas por indígenas que vivem muito próximos de vilas, projetos de assentamentos e acampamentos de garimpeiros. A convivência mais intensa com os não indígenas está ameaçando a vitalidade de idiomas como o ninam, ỹaroamë e yãnoma. Há muitas maneiras de fortalecer as línguas yanomami, uma delas é produzir materiais didáticos nessas línguas e garantir que sejam ensinadas nas escolas.